Teorias e Fotografias
Aqui não se passa nada, mas podem entrar e ficar à vontade.
19 de Maio de 2011

Ontem a Sra. Merkel, num discuso que fez, disse frases tão inteligentes como:

"na Grécia, Espanha e Portugal não se devia poder reformar mais cedo do que na Alemanha"

Nitidamente a Sra. Merkel sente-se superior, como se ela fosse a patroa e nós os empregados, não pode haver  misturas e soa-me a dejá vu... mas é melhor nem falar disso que iamos entrar por caminhos tortuosos.

"não podemos ter uma moeda única onde uns têm muitas férias e outros poucas"

Eu acrescento o que ela por lapso decerto se esqueceu de dizer:

Não podemos ter uma moeda única e não ter salários mínimos equivalentes aos dos alemães, isto já para não falar da saúde e da educação, mas isso a Sra. Merkel esqueceu-se e nós, que afinal somos um país de brandos costumes, vamos ouvindo e calando.

publicado por Moira às 11:07 link do post
tags:
12 de Maio de 2009

Ainda não compreendi porque há pessoas que insistem em seguir certas tendências da moda, senão vejamos:

Porque é que as raparigas usam calças de cintura descaída, se as andam sempre a puxar para cima?

E porque é que usam t-shirts curtas, se as andam sempre a puxar para baixo?

 

Pensem nisto... e dêem a vossa opinião.

publicado por Moira às 23:14 link do post
30 de Abril de 2009

Começa hoje mais uma Feira do Livro em Lisboa, e é por isso que hoje vos venho falar de livros, neste caso de um livro específico.

 

Há relativamente pouco tempo, um dos mais consagrados escritores portugueses afirmava que, embora se editasse muito em Portugal, a grande maioria era apenas "enxurrada". Na verdade, e na minha opinião assim é, quer no que diz respeito a traduções, quer quanto a originais lusos.

Mas nem tudo se pode medir pela mesma bitola, embora com pouca frequência, vão aparecendo novos valores e bons livros.

Recentemente, numa edição da "Ésquilo", surgiu um magnífico romance épico que evoca as nossas origens como país independente, refiro-me a "Afonso Henriques, o Homem", da Historiadora e também Romancista, Cristina Torrão.

Tendo por base factos históricos, Cristina Torrão trabalhou com mestria a ficção, dando a conhecer ao leitor menos atento, não só a grandiosa figura do nosso primeiro rei, mas também quase o dia a dia dos portugueses e do Portugal do século XII - lutas, dramas, festas, religiosidade e até paixões.

Como ficcionista, não deixou de se referir a alguns mitos sobre a protecção divina a D. Afonso Henriques, como historiadora tece opiniões que talvez tragam alguma luz sobre datas, locais e acontecimentos envoltos em polémica.

 

À Cristina Torrão tenho que agradecer por ter dedicado aos seus leitores as horas de solidão necessárias para conceber este magnífico livro.

Aos leitores, a convicção e o desejo de que passem excelentes momentos na companhia de tantas personagens que deram o seu melhor para que, quase um milénio depois possamos dizer com orgulho: Eu sou português.

 

Este é o segundo livro de Cristina Torrão, do primeiro já vos falei aqui, pena que não tenham feito mais nenhuma edição, nem conveniente divulgação do mesmo.

 

Nota: A imagem do livro foi retirada do site da Ésquilo

publicado por Moira às 00:05 link do post
pesquisar neste blog
 
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Translator

Read the Printed Word!
blogs SAPO